A importância da fisioterapia no ambiente de trabalho

Muitas empresas almejam o máximo de produtividade, mas a grande maioria esquece de pôr em prática ações que promovam a qualidade de vida, dentre elas a fisioterapia no ambiente de trabalho.

Nosso corpo é uma ‘máquina’ complexa e perfeita criada para estar sempre em movimento.

Porém, na maioria das vezes nos submetemos a posturas inadequadas, movimentos repetitivos, especialmente no trabalho, onde passamos a maior parte do tempo sentados ou em pé em uma mesma posição, sem pausas e ainda de maneiras inadequadas.

Tais hábitos podem parecer inofensivos, no entanto, geram graves consequências para o nosso corpo.

Afetam não somente o físico, mas também o psíquico e o social do indivíduo, prejudicando de forma significativa sua qualidade de vida de forma geral.

Então como a fisioterapia no ambiente de trabalho pode auxiliar na melhoria da produtividade? Vejamos alguns conceitos primeiro.

O que é fisioterapia?

A fisioterapia é uma área da saúde que previne o surgimento e/ou agravamento de patologias, diagnostica, trata, reabilita e também promove ações em saúde.

A fisioterapia do trabalho é uma especialidade que surgiu com o crescimento das organizações e complexidade de tarefas.

O fisioterapeuta do trabalho é o profissional que atua dentro da empresa com o objetivo de melhorar a qualidade de vida do trabalhador, prevenindo os trabalhadores de serem acometidos pelas doenças crônicas degenerativas, conhecidas popularmente como LER (lesões por esforço repetitivo) e DORT (distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho).

As LER/DORT são definidas como doenças ocupacionais que levam a diminuição da produtividade temporária ou permanente.

O fisioterapeuta do trabalho é responsável pela saúde ocupacional do trabalhador dentro e fora da empresa.

Doenças ocupacionais

Os distúrbios osteomioarticulares relacionados ao trabalho, termo que substituiu a terminologia Lesões por Esforços Repetitivos, caracterizam-se pela dor crônica, acompanhada ou não de alterações objetivas.

Diversas afecções tais como tendinite, tenossinovite, bursite, lombalgia, síndrome do túnel do carpo, entre outras, são atualmente, com base nos dados do INSS (2003), a segunda maior causa de afastamento do trabalho.

Principais causas das doenças ocupacionais

As principais doenças ocupacionais são causadas por esforços repetitivos, trabalho estático e ritmos intensos de trabalho.

Também podemos citar as condições do posto de trabalho e posturas inadequadas, que estão presentes na maioria das atividades profissionais.

Tanto a postura sentada, quanto a em pé geram sobrecargas para nosso corpo. Quando estas posições são adotadas de maneira incorreta e por tempo excessivo, provocam o aumento da sobrecarga, principalmente na coluna vertebral.

Isso desencadeia uma série de desconfortos que, se não cuidados podem gerar sérias

consequências para o nosso corpo, comprometendo o desempenho nas atividades laborais.

Prevenção

A cinesioterapia laboral ou ginástica laboral, é definida como a realização de exercícios físicos no ambiente de trabalho, durante o horário de expediente.

Tem por finalidade promover a saúde dos colaboradores e evitar lesões de esforços repetitivos ou doenças ocupacionais.

Consiste em alongamentos, relaxamento muscular e flexibilidade das articulações.

Apesar da prática da ginástica laboral ser coletiva, ela é moldada de acordo com a função exercida por cada trabalhador.

Além disso, é importantíssimo realizar ações de promoção à saúde como, palestras, orientações e dinâmicas de grupo com intuito de unir e conscientizar os colaboradores, fazendo com que a soma destas ações repercuta em forma de diversos benefícios tanto para os trabalhadores, quanto para a empresa.

A ginástica laboral, ainda está dividida em:

Preparatória – que consiste na realização de exercícios específicos dentro do local de trabalho, atuando de forma preventiva e terapêutica.

É realizada no início da jornada de trabalho, tem a duração aproximada de 10 a 12 minutos, e tem por objetivo, preparar o indivíduo para o início de mais um dia de trabalho.

Compensatória – que visa proporcionar o equilíbrio funcional, com duração de 5 a 10 minutos e acontece durante o expediente de trabalho.

Relaxamento – realizada geralmente ao final do expediente, com intuito de amenizar as tensões acumuladas durante o dia de trabalho.

Corretiva –  que como o próprio nome sugere, trata-se de orientações e correções de hábitos posturais inadequados.

Benefícios da fisioterapia no ambiente de trabalho para o colaborador

A ginástica laboral vem provando ter muitos benefícios, que podemos dividir em fisiológicos, psicológicos e sociais. Confira:

Fisiológicos

São a diminuição de tensões musculoesqueléticas, promovendo relaxamento, amenizando fadiga muscular, além de melhorar a circulação sanguínea, a oxigenação dos músculos e tendões, melhorando a mobilidade e flexibilidade, atuando na prevenção de LER/DORT.

Psicológicos

Quanto ao estado psicológico, podemos citar que os exercícios proporcionam a conscientização da importância do trabalho frente a empresa, melhora os níveis de concentração e reduz os índices de estresse.

Social

Em relação aos benefícios no âmbito social, nota-se melhora no relacionamento interpessoal, integração social, favorecendo o sentido de grupo e desenvolvendo e melhorando o espírito de equipe.

Benefícios da fisioterapia no ambiente de trabalho para a empresa

Ressalta-se ainda, que os diversos benefícios não se resumem apenas aos trabalhadores, mas se estendem também para a empresa e, consequentemente, na visão dos clientes.

  • Melhoria da imagem da empresa no mercado de trabalho;
  • Redução do risco de acidentes de trabalho;
  • Redução de índices de absenteísmo;
  • Redução de custos médicos;
  • Redução do estresse no trabalho, o que resulta em melhor atendimento ao cliente;
  • Aumento da produtividade e consequentemente, melhores resultados financeiros.

As ações preventivas culminam em um maior e melhor vínculo entre empresa e colaborador, o que reflete diretamente no clima organizacional e nos resultados da organização.

Dessa forma, a fisioterapia no ambiente de trabalho proporciona melhoria da qualidade de vida do trabalhador e gera lucro para empresa através do aumento da produtividade e diminuição de acidentes de trabalho.

A fisioterapia no ambiente de trabalho também pode ser inserida nos programas de qualidade de vida da empresa e trabalhar a conscientização junto aos colaboradores gerando um ambiente de trabalho mais agradável.

Agora que você sabe como a fisioterapia no ambiente de trabalho pode ajudar a sua empresa a obter melhores resultados, resta traçar um planejamento para pô-la em prática.

Procure profissionais que realizam fisioterapia no ambiente de trabalho para melhorar a qualidade de vida dos seus colaboradores e você ter mais disposição para dedicar-se à gestão administrativa da sua empresa.